BJO in Translation - Portuguese Abstracts

Resumos em Português
Benvindo aos Resumos em Portugues do BJO
Esta edição inclue resumos de todos os artigos de Ciências Clínica e Laboratorial  publicados em Dezembrode 2005. Os textos completos, em Inglês, estão disponíveis somente para assinantes ou sob pagamento (US$12 por artigo).

Portuguese Abstracts
Welcome to the BJO Portuguese Abstracts
This edition includes Portuguese translations of the abstracts of all Clinical and Laboratory Science articles from the December2005 issue. The full text is only available in Englishto subscribers or on a pay per view basis (US$12 per article)

Dezembro/ December 2005
Volume 89 Number/ número 12

Clinical science - scientific reports Ciência clínica – relatos científicos
Clinical science - extended reports Ciência clínica – relatos extendidos
Laboratory science - scientific reports Ciência laboratorial – relatos científicos
Laboratory science - extended reports Ciência laboratorial – relatos extendidos

Editors/ Editores: Dr Daniel de Souza Pereira and Dr Jonathan Lake
bhisit{at}itsa.ucsf.edu  bhisit{at}itsa.ucsf.edu


  Clinical science - scientific reports 

Exotropia intermitente com fixação para perto: um “leve” sinal de doença neurológica
P H Phillips, K J Fray, and M C Brodsky
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

Incidentes em uma arena de catarata – como podemos melhorar a compreensão e documentação
Kaveri Mandal, Wendy E Adams e Scott Fraser
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

Efeito da extração de catarata na perimetria de duplicação de freqüência em pacientes com glaucoma
M. A. Rehman Siddiqui, Augusto Azuara Blanco e Sean Neville
Portuguese Abstract   English Abstract   English Full text

Efeitos relativos da espessura corneal e idade na tonometria de aplanação de Goldmann e tonometria de contorno dinâmico
Aachal Kotecha, Edward T White, Janine M Shewry e David F Garway-Heath
Portuguese Abstract   English Abstract   English Full text

Aniseicônia associada a membranas epirretínicas
Marta Ugarte e Tom H Williamson
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

Comparação dos modelos de Tomógrafos de Coerência Óptica OCT 1 e Stratusreg na medida da espessura macular
Vincent Pierre-Kahn, Ramin Tadayoni, Belkacem Haouchine, Pascale Massin e Alain Gaudric
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

Desenvolvimento de instrumentos cirúrgicos intraoculares utilizando Sistemas Microeletromecânicos (MEMS)
Robert B. Bhisitkul e Chris G. Keller
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

Biópsia da parede do saco lacrimal é indicada durante a dacriocistorinostomia? Estudo prospectivo e revisão da literatura
Christos Merkonidis, Clive Brewis, Matthew Yung e Michael Nussbaumer
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

  Clinical science - extended reports

Variação nas taxas de retinopatia da prematuridade grave entre as Unidades de Terapia Intensiva Neonatal na rede de atendimento da Austrália e Nova Zelândia
Brian A Darlow, Jolie L Hutchinson, Judy M Simpson, David J Henderson-Smart, Deborah A Donoghue e Nicholas J Evans
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

Ceratoplastia lamelar profunda (CLP) por meio de descolamento do parênquima do limbo corneal
Tadashi Senoo, Keizo Chiba, Junichirou Mori, Michiharu Kikuchi, Kaoru Hasegawa, Yoshitaka Obara e Osamu Terada
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

O desenho especial de superfície posterior pode melhorar a adaptação de lentes de contato e seu resultado visual em pacientes após ceratoplastia penetrante?
Claudia Gruenauer-Kloevekorn, Ulrike Kloevekorn-Fischer e Gernot I W Duncker
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

Menores limites de fluoresceína e indocianina verde para angiografia fluorescente cSLO digital
Almut Bindewald, Oliver Stuhrmann, Felix Roth, Steffen Schmitz-Valckenberg, Hans-Martin Helb, Alfred Wegener, Nicole Eter e Frank G Holz
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

Carboplatina sistêmico para retinoblastoma: alteração em tamanho tumoral ao longo do tempo
David H. Abramson, Scott D. Lawrence, Katherine Beaverson, Thomas C. Lee, Indira S. Rollins e Ira J. Dunkel
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

ERG eletronegativo unilateral de etiologia não vascular
Anthony G Robson, Emma C Richardson, Adrian HC Koh, Carlos E Pavesio, Phil G Hykin, Antonio Calcagni, Elizabeth M Graham e Graham E Holder
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

  Laboratory science - scientific reports

Expressão aumentada do favor de crescimento endotelial vascular (VEGF) associado à acúmulo de lipídios na membrana de Bruch em camundongos sem a membrana do receptor para LDL
Martin Rudolf, Bernd Winkler, Zouhair Aherrrahou, Lars C. Doehring, Piotre Kaczmarek e Ursula Schmidt-Erfurth
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

Produtos finais avançados da glicosilação podem induzir reação glial e degeneração neuronal em explantes de retina
Amelie Lecleire-Collet, Luc-Henri Tessier, Pascale Massin, Valérie Forster, Gerard Brasseur, José-Alain Sahel e Serge Picaud
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

O polimorfismo do gene C677t 5,10metilenetetrahidrofolato reductase em pacientes com Behçet com ou sem acometimento ocular
Yusuf Ozkul, Cem Evereklioglu, Murat Borlu, Serpil Taheri, Mustafa Calis, Munis Dundar, and Ozgur Ilhan
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

 

  Laboratory science - extended reports

Expressão do gene gremlin em pericitos da retina bovina exposta à concentração elevada de glicose
Rosemary Kane, Laura Stevenson, Catherine Godson, Alan W Stitt e Colm O'Brien
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text

Expressão do FGFR-2 e FGFR-3 na órbita fetal humana normal
Sajid H Khan, Jonathan A Britto, Robert D Evans e Ken K Nischal
Portuguese Abstract   English Abstract  English Full text


  Clinical science - scientific reports 

Exotropia intermitente com fixação para perto: um "leve" sinal de doença neurológica
P H Phillips, K J Fray, and M C Brodsky

Objetivo: Examinar a associação de disparidade longe-perto com doença neurological em crianças com exotropia intermitente.

Métodos: Foi realizada uma análise retrospectiva dos prontuários médicos de todas as crianças com exotropia itermitente examinadas no Hospital de Crianças de Arkansas (Arkansas Children’s Hospital) entre 1989 e 2002. O grupo de estudo foi composto por crianças com exotropia intermitente que tiveram um desvio de perto maior do que o desvio para longe em pelo menos 10 dioptrias prismáticas. O grupo controle foi composto por crianças com exotropia intermitente que tinham um desvio para longe maior ou igual ao desvio para perto. A principal medida de avaliação foi a prevalência de anormalidades neurológicas no grupo de estudo e grupo controle.

Resultados: Entre os 29 pacientes no grupo de estudo, 19 (66%) tiveram história de anormalidades neurológicas concomitantes. Doenças neurológicas associadas incluíram atraso no desenvolvimento (10 pacientes), desordens com déficit de atenção (quatro pacientes), paralisia cerebral (quatro pacientes), história de hemorragia intra craniana (quatro pacientes), leucomalácia periventricular (três pacientes), convulsões (dois pacientes), dano do córtex visual (dois pacientes), hidrocefalia (um paciente), história de dano cerebral por anóxia (um paciente), história de encefalite (um paciente) e autismo (um paciente). Entre os 37 pacientes no grupo controle, sete (19%) tinham história de anormalidades neurológicas concomitantes. A diferença na prevalência de doença neurológica entre o grupo estudo e o controle foi significante (p = 0,0002).

Conclusão: Exotropia intermitente que aumenta com a fixação para perto é associada a doença neurológica em crianças. 

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


Incidentes em uma arena de catarata – como podemos melhorar a compreensão e documentação
Kaveri Mandal, Wendy E Adams e Scott Fraser

Resumo
Objetivo: Relatos de incidentes são utilizados na indústria para mostrar áreas ou práticas potencialmente seguras. O objetivo deste estudo foi verificar um método descritivo de registro de incidentes como um método apropriado para uso na arena operatória oftalmológica e quantificar quantos incidentes foram gravados utilizando este sistema.
Métodos: O estudo foi totalmente conduzido em uma arena de catarata no Reino Unido. A enfermeira da arena designada ao paciente durante a entrada na arena tomou notas de incidentes. Como atualmente não há definição consensual de incidentes a enfermeira registrou qualquer evento considerado um desvio da rotina normal da arena.
Resultados: Dos 500 casos escolhidos aleatoriamente, 96 desvios da rotina normal foram descritos em 93 pacientes (19%). Todos os formulários distribuídos para as enfermeiras foram devolvidos (100% de resposta). O incidente anormal mais comum foi intraoperatório (69), com um menor numero pré-operatório (27). Quando estes eventos foram classificados foi sentido que 25 poderiam ser classificados como incidentes. Um efeito adverso real foi registrado durante o estudo.
Conclusões: Os resultados sugerem que uma equipe de enfermagem experiente em uma arena de catarata são uma fonte confiável para coletar dados em relação a incidentes. Um consenso agora é necessário para definir incidentes em oftalmologia e desenvolver um sistema amigável que pode utilizar estas definições para registrar de forma constante estes eventos potencialmente vitais.

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


Efeito da extração de catarata na perimetria de duplicação de freqüência em pacientes com glaucoma
M. A. Rehman Siddiqui, Augusto Azuara Blanco e Sean Neville

Resumo
Objetivo: Avaliar o efeito da cirurgia de catarata na perimetria de duplicação de freqüência (FDT) em pacientes com catarata e glaucoma.
Métodos: Nesta coorte prospectiva consecutiva, vinte e sete pacientes com glaucoma de ângulo agudo agendados para extração de catarata simples ou combinada com trabeculectomia foram convocados. Todos os pacientes foram submetidos a perimetrias FDT com limiar C20 no período de 3 meses antes e após a cirurgia. Alterações no desvio médio (DM) e desvio padrão padronizado (DPP) foram avaliados. Além disso, alterações na acuidade visual corrigida logMAR (AV), pressão intraocular (PIO) e número de medicações antiglaucomatosas foram estudadas.
Resultados: Vinte e dois pacientes completaram o estudo. A AV melhorou após cirurgia, de 0.47 ± 0.19 a 0.12 ± 0.17 (p<0.001). Os índices visuais alteraram após a cirurgia: DM(±DP) melhorou de -10.9 ± 4.6dB para -7.0 ± 4.6dB; p<0.001) enquanto o DPP(±SD) piorou (de 7.1 ± 3.5 dB para 8.5 ± 3.8 dB; p=0.001).
Conclusão: Em pacientes com catarata e glaucoma examinados com o FDT, o DM melhorou e o DPP piorou após cirurgia de catarata. Os índices globais de FDT devem ser interpretados de forma cautelosa em pacientes com glaucoma e catarata

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


Efeitos relativos da espessura corneal e idade na tonometria de aplanação de Goldmann e tonometria de contorno dinâmico
Aachal Kotecha, Edward T White, Janine M Shewry e David F Garway-Heath

Resumo
Objetivos:
Estabelecer os efeitos da espessura central corneal (ECT) na pressão intraocular (PIO) medida com o protótipo de um tonômetro de contorno dinâmico Pascal (TCD) para avaliar o efeito da ECT e idade na PIO medida com o tonômetro de aplanação de Goldmann (TAG) e comparar com a variação inter e intraobservador da TCD com o TAG.
Métodos: Medidas da PIO com o TAG e o TCD foram realizadas em 130 olhos de 130 pacientes e a concordância foi avaliada por meio de gráficos de Bland Altman. O efeito da ECT e da idade nas diferenças de PIO TAG/TCD foi avaliado por meio de análise de regressão linear. A variação inter e intraobservadores para a TAG e TCD foi avaliada em 100 olhos de 100 pacientes.
Resultados: A diferença média (95% intervalos de confiança) entre a TAG e TCD foi de -0.7 (-6.3 a 4.9) mmHg. As diferenças de PIO entre a TAG e TCD aumentaram com espessuras maiores da córnea, 0.017mmHg/ , (95% IC 0.004 a 0.03, r2 =0.05, p=0.01) e com idade maior, 0.05mmHg/year (95% IC 0.012 a 0.084, r2 =0.05, p=0.01). A variação intraobservadora do TAG e TCD foi de 1,7 e 3,2mmHg, respectivamente. A variabilidade interobservadora foi de 0,4 (-3,5 a 4,2) mmHg para TAG e 0,2 mmHg (-4,9 a 5,3) mmHg para TCD.
Conclusões: O TAG é significativamente mais afeitado que a TCD tanto pela idade quanto pela ECT. O efeito da idade sugere uma alteração corneal biomecânica relacionada à idade que pode induzir erros adicionais além da ECT. O protótipo de TCD apresenta maior variabilidade de medidas do que a TAG.

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


Aniseicônia associada a membranas epirretínicas
Marta Ugarte e Tom H Williamson

Resumo
Objetivos
- Determinar se a versão computadorizada do Novo Teste para Aniseicônia ( New Aniseikonia Test - NAT) é um método válido confiável para medir a aniseicônia e estabelecer se a aniseicônia ocorre em pacientes com membranas epirretínicas (ERM) com preservação de boa acuidade visual.
Métodos- Utilizando uma versão computadorizada do NAT a aniseicônia horizontal e vertical foi medida em 16 indivíduos (média+DP, 47+16,46 anos) sem história ocular e em 14 pacientes (média+DP, 67,7+14,36 anos) com ERM. A validade do teste foi avaliada através da indução de aniseicônia com lentes de aumento. A confiabilidade do teste foi avaliada através do método de teste-reteste.
Resultados- Em indivíduos normais a % média (+SD) de aniseicônia horizontal foi de -0.24% (+0.71)e vertical de 0% (+0.59). Estudos de validade revelaram (média+DP) 0,990+0,005 horizontal e 0,991+0,004 vertical com coeficientes de correlação de inclinação horizontal de 0,985+0,111 e vertical de 0,989+0,102. Coeficientes de reprodutibilidade horizontal foram de 1,04 e vertical de 0,88. Aniseicônia em pacientes com RRM variou entre 4-14%. 8 pacientes mostraram diferença nos tamanhos das imagens de 2% ou mais nos meridianos horizontal e vertical.
Conclusões- O teste utilizado para avaliação de aniseicônia neste estudo pode ser considerado um teste simples, rápido, válido e confiável para medir a diferença nos tamanhos de imagens percebidos por cada olho. Aniseicônia não ocorre em pacientes com ERM sintomático. O efeito da ERM no tamanho da imagem na área da retina afetada é heterogênio.

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


Comparação dos modelos de Tomógrafos de Coerência Óptica OCT 1 e Stratusreg na medida da espessura macular
Vincent Pierre-Kahn, Ramin Tadayoni, Belkacem Haouchine, Pascale Massin e Alain Gaudric

Resumo
Objetivos:
Comparar os valores da espessura macular (RT) medidas com os Tomógrafos de coerência óptica de primeira e última geração (OCT1 e Stratusreg OCT, Zeiss, Humphrey Division).
Tipo de estudo: Estudo de Coorte.
Métodos: Cinqüenta e nove olhos foram examinados: 17 com mácula normal e 42 com edema macular diabético. Em cada olho a média de espessura retínica foi medida automaticamente em 9 áreas maculares do Early Treatment Diabetic Retinopathy Study e no centro da fóvea, utilizando OCT1 e Stratus OCT. A média pareada dos valores da RT em cada área e o tipo e proporção de artefatos foram comparados.
Resultados: Das 590 medidas automáticas, 505 não tinham artefatos tanto com o OCT1 quanto com o Stratus OCT. A principal diferença entre as medidas do OCT1 e do Stratus OCT foi de 25 ¡Ó26,2 mum (p<0,0001). Os valores das RT foram significantemente maiores com o Stratus OCT , entre 8,1 ¡Ó7,8 %, maiores que no OCT1. Artefatos foram observados apenas em casos de edema macular diabético e foram significantemente mais freqüentes no OCT1 do que no Stratus OCT (10,5% versus 4,4, p<0,0001).
Conclusão: Os valores da espessura retínica macular medidos com o Stratus OCT foram significantemente maiores do que os medidos pelo OCT1. Stratus OCT tem a vantagem de produzir menos artefatos do que o em casos patológicos.

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


Desenvolvimento de instrumentos cirúrgicos intraoculares utilizando Sistemas Microeletromecânicos (MEMS)
Robert B. Bhisitkul e Chris G. Keller

Resumo
Objetivo:
Desenvolver pinças microscópicas para cirurgia intraocular, utilizando tecnologia de sistemas microeletromecânicos (MEMS), a tecnologia utilizada em microchips na produção de dispositivos tridimensionais controláveis em escala de microns.
Métodos: Protótipos de pinças MEMS pra cirurgia intraocular foram desenhados e produzidos. Varredura com microscopia eletrônica foi utilizada para avaliar a construção da ponta dos materiais. Projetos utilizando tanto atuadores de expansão térmica quanto de ativação mecânica convencional foram testados funcionalmente em cirurgia vítreo-retínica, em olhos de cadáveres humanos e em olhos de coelhos in vivo.
Resultados: As pinças MEMS foram construídas com vários desenhos de pontas variando de 100 microns a 2 mm de largura. Varredura com microscopia eletrônica confirmou a construção precisa das microestruturas como os dentes das pinças medindo dezenas de microns. No teste em campo cirúrgico, as pinças de sílica foram eficientes nas manobras cirúrgicas, incluindo apreensão de membranas e excisão de tecidos. O desenho de atuador mecânico em um manipulador de 20-gauge foi mais operacional no ambiente intraocular do que os atuadores de expansão térmica. Apesar de a operação com manipulação ser possível, a precisão dos instrumentos foi melhor explorada quando montados em um micromanipulador de 3 eixos.
Conclusão: Micro instrumentos MEMS são de utilização possível em cirurgia vitreo-retínica convencional e oferecem vantagens em termos de melhores proporções, precisão de movimentos e resistência da estrutura

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


Biópsia da parede do saco lacrimal é indicada durante a dacriocistorinostomia? Estudo prospectivo e revisão da literatura
Christos Merkonidis, Clive Brewis, Matthew Yung e Michael Nussbaumer

Resumo
Objetivo:
Determinar se a biópsia rotineira da parede do saco lacrimal na dacriocistorinostomia (DCR) é indicada.
Desenho: Estudo prospectivo e revisão da literatura.
Métodos: Em 193 DCRs endoscópicas consecutivas realizadas em 164 pacientes (108 do sexo feminino e 56 do sexo masculino) parte da parede medial do saco lacrimal foi enviada para exame histológico. A idade média dos pacientes foi de 64 anos (variação de 2,5 a 89). Estudos prévios foram revistos.
Resultados: Dos 193 espécimes, 44 (23%) mostraram histologia normal, 146 (76%) mostraram graus variantes de inflamação crônica inespecífica e 3 mostraram doenças específicas. Das 3 doenças detectadas 2 eram sarcoidose e uma era papiloma celular de transição. Os dois espécimes com sarcoidose foram obtidos de um paciente submetido a cirurgia bilateral. Neste estudo e nas séries previamente publicadas apenas 7 de 1294 espécimes (0,5%) mostraram diagnósticos específicos que definitivamente insuspeitos pré- ou intra-operatoriamente e apenas 1 de 1294 espécimes (0,08%) foram malignos.
Conclusões: Biópsia da parede do saco lacrimal na dacriocistorinostomia não é indicada de rotina e somente é indicada se há motivo para suspeitar outras doenças além da inflamação crônica detectada antes ou durante a cirurgia

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


  Clinical science - extended reports

Variação nas taxas de retinopatia da prematuridade grave entre as Unidades de Terapia Intensiva Neonatal na rede de atendimento da Austrália e Nova Zelândia
Brian A Darlow, Jolie L Hutchinson, Judy M Simpson, David J Henderson-Smart, Deborah A Donoghue e Nicholas J Evans

Resumo
Objetivo:
Analisar a variação nas taxas de retinopatia da prematuridade grave (ROP) entre as unidades de terapia intensiva neonatal (NICUs) na rede neonatal da Austrália e Nova Zelândia(ANZNN), com ajuste para variação das amostras e para a mistura de casos.
Métodos: Vinte e cinco NICUs foram incluídas no estudo de 2105 crianças em menos de 29 semanas em 1998 e 1999, que sobreviveram com idade gestacional de 36 semanas e foram examinados para ROP. As taxas de ROP grave observadas nas NICU foram ajustadas para a história de casos utilizando regressão logística na gestação, relação de peso, idade gestacional e sexo e utilização de estimativas de diminuição
na variabilidade das amostras. A taxa correta nas 20% melhores NICUs foi identificada e variações das taxas nas NICU foram comparadas com as de 2000-2001.
Resultados: A taxa global (não ajustada) de ROP grave nas NICUs foi de 9,6% (IQR 5,4−12,8%). Após o ajuste para mistura de casos e variabilidade das amostras variação entre as NICUs permaneceu significante. Vinte por cento das NICUs tiveram taxa de ROP grave de ¡Ü5,9%. A variação das taxas entre as NICUs mostraram um padrão semelhante em ambos os períodos de tempo. Se a taxa global das redes fosse reduzida a 5,9%, a vigésima centena das taxas ajustadas, haveria 79 casos a menos em um períodos de dois anos, em contraste a menos 26 nas taxas das duas unidades com as taxas excessivas melhoradas na média.
Conclusões: Variação considerável nas taxas de ROP grave entre as NICUs se mantiveram após ajuste para mistura de casos e variabilidade das amostras. Estes dados facilitarão a investigação de práticas potencialmente melhores associadas à redução do risco de ROP grave.

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


Ceratoplastia lamelar profunda (CLP) por meio de descolamento do parênquima do limbo corneal
Tadashi Senoo, Keizo Chiba, Junichirou Mori, Michiharu Kikuchi, Kaoru Hasegawa, Yoshitaka Obara e Osamu Terada

Resumo
Objetivo:
Melhorar a técnica de ceratoplastia lamelar profunda.
Método: Para a realização de ceratoplastia lamelar profunda de maneira fácil e confiável o descolamento da membrana de Descemet por meio de retalho límbico corneal foi melhorado. Para expor a membrana de Descemet, o parênquima foi descolado por hidrodelaminação através de retalho córneoescleral realizado no limbo corneal. O parênquima foi removido após a pseudocâmara ser preenchida com solução viscoelástica. O enxerto corneal foi posicionado por meio de sutura contínua. Vinte e dois olhos foram tratados.
Resultados: A exposição completa da membrana de Descemet foi obtida em 20 de 22 olhos (91%). A membrana foi perfurada em 5 de 22 olhos (23%) durante a cirurgia. Dois de 22 olhos (9%) foram convertidos para ceratoplastia penetrante (CP). Estes dois olhos evoluíram para ceratocone após hidrópsia aguda.
Conclusão: Comparado ao procedimento convencional, este método novo fornece exposição fácil e confiável da membrana de Descemet.

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


O desenho especial de superfície posterior pode melhorar a adaptação de lentes de contato e seu resultado visual em pacientes após ceratoplastia penetrante?
Claudia Gruenauer-Kloevekorn, Ulrike Kloevekorn-Fischer e Gernot I W Duncker

Resumo
Objetivos:
Descrever a adapta��o de pacientes com astigmatismo alto ou irregular ap�s ceratoplastia penetrante a lentes de contato e responder a quest�o se um desenho especial de superf�cie posterior pode melhorar a acuidade visual em casos complexos ap�s ceratoplastia penetrante.
Pacientes e M�todos: Vinte e oito olhos foram estudados. N�s adaptamos lentes de contato com superf�cie posterior especial que foi desenhado para reabilita��o �ptica ap�s ceratoplastia penetrante. Quatro tipos diferentes de lentes (tricurva, ceratocone reverso e oblonga) foram utilizados seletivamente em excentricidades anormais determinados por videoceratoscopia. Os pacientes foram acompanhados por um per�odo m�dio de 15,5 meses. A toler�ncia da lente e acuidade visual corrigida foi avaliada e comparada com a acuidade visual corrigida por �culos.
Resultados: A acuidade visual melhorou de forma significativa em aproximadamente todos os olhos com um aumento m�dio de 3,6 linhas (m�ximo de 9 linhas) que foi acompanhada de boa toler�ncia � lente de contato e adapta��o satisfat�ria. Nenhuma complica��o digna de nota foi observada.
Conclus�o: Lentes de contato com desenho de superf�cie posterior especial pode melhorar os resultados visuais e toler�ncia da lente e minimizar os problemas da adapta��o da lente. Estes dados s�o favor�veis ao uso da lente de contato com alternativa a procedimentos cir�rgicos para corre��o de astigmatisimo alto ou irregular ap�s ceratoplastia penetrante. Este procedimento � recomendado especialmente em casos de pacientes que optam por n�o realizar outras interven��es cir�rgicas.

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


Menores limites de fluoresceína e indocianina verde para angiografia fluorescente cSLO digital
Almut Bindewald, Oliver Stuhrmann, Felix Roth, Steffen Schmitz-Valckenberg, Hans-Martin Helb, Alfred Wegener, Nicole Eter e Frank G Holz

Resumo
Introdução/Objetivos:
Com o advento da oftalmoscopia confocal com varredura a laser é possível detectar baixos níveis de fluorescência. Nós utilizamos um novo oftalmoscópio confocal com varredura a laser (cSLO) para determinar limites menores de corante necessário para angiografia com fluoresceína (FL) e indocianina verdde (ICG).
Métodos: Um cSLO (Heidelberg Retina Angiograph 2, Heidelberg Engineering, Dossenheim, Germany) com um laser de estado-sólido bombeado opticamente (488 nm) para FL e um laser de diodo (790 nm) para angionrafia com ICG (FL/ICG-A) foi utilizado. 62 FL foram realizadas em 53 pacientes e 45 ICG foram realizadas em 39 pacientes com degeneração macular relacionada à idade forma exsudativa (neovascular). O volume e o conteúdo total das injeções foram gradualmente preparados (FL: 500 mg, 250 mg, 200 mg, 166 mg, 100 mg; ICG: 25 mg, 20 mg, 15 mg, 10 mg, 5 mg, 2,5 mg), enquanto a contrentração dos corantes foram mantidas constantes em 100 mg/ml para FL e em 5 mg/ml para ICG. Foram obtidas imagens 1, 5, 15 e30 min após a injeção do corante. A qualidade da imagem foi avaliada por dois leitores independentes, utilizando critérios padronizados.
Resultados: Para quantidades menores que 166 mg para FL e 5 mg para ICG, foram obtidas imagens com qualidade suficiente durante todas a fases após a injeção. Apenas na fase tardia, as imagens mostraram menos contraste comparadas às quantidades de corante tipicamente utilizadas, o que foi irrelevante para a interpretação e manejo clínico.
Conclusões: Com a sensibilidade aumentada deste novo sistema cSLO, as quantidades de corante injetadas durante angiografias fluorescentes podem ser reduzidas a um terço para FL e um quinto para ICG sem perda relevante da qualidade da imagem ou da informação comparada a níveis de corantes convencionalmente utilizados. Estas quantidades podem ser utilizadas para angiografias de rotina e permitem economia relevante em unidades realizadoras de angiografia fluorescente.

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


Carboplatina sistêmico para retinoblastoma: alteração em tamanho tumoral ao longo do tempo
David H. Abramson, Scott D. Lawrence, Katherine Beaverson, Thomas C. Lee, Indira S. Rollins e Ira J. Dunkel

Resumo
Introudução:
Quimioterapia para retinoblastoma intraocular é utilizado para diminuir tumores retínicos individuais para um tamanho adequado para tratamento focal. Relatamos a seguir dados quantitativos em relação a respostas tumorais após tratamento com carboplatina sistêmico primário.
Métodos: Alterações na área e diâmetro basal maior de tumores expostos a carboplatina sem tratamento focal concomitante e com fundoscopia digital fotográfica realizados antes e depois da cirurgia foram medidas. Respostas foram definidas como redução maior do que 10% na área do tumor e progresssão aumento maior do que 10% em área.
Resultados: Trinta e seis tumores foram medidos após um tratamento com carboplatina:: 34/36 (94.4%) responderam com uma diminuição média na área de 37.1% (med = 37.0%; 4.0%-76.7%). A redução média no diâmetro basal foi de 21.3% (med = 21.0%; -7.9%-52.5%). Vinte tumores foram tratados com um segundo ciclo de carboplatina: 15/20 (75.0%) apresentaram resposta. A diminuição média na área após o segundo ciclo foi de 17.8% (med = 15.3%; -7.0%-49.7%). A diminuição cumulativa na área após dois tratamentos foi de 55.1% (med = 56.2%; 33.0%-74.5%). A redução médica cumulativa no diâmetro basal foi de 33.6% (med = 33.6%; 10.9%-53.2%). Doze tumores foram tratados com um terceiro ciclo de carboplatina: 3/12 (25.0%) tiveram resposta, 8/12 permaneceram estáveis e 1 progrediu. A diminuição média na área foi de 5,4% (med = 7.2%; -17.7%-20.6%). A diminuição cumulativa na área após 3 tratamentos foi de 58,1% (med = 57.3%; 34.8%-77.2%). A redução cumulativa no diâmetro basal foi de 38.8% (med =38.2%; 19.1%-54.1%).
Conclusões: A carboplatina levou a diminuição significativa dos retinoblastomas. A resposta foi maior após o tratamento inicial e diminuiu com tratamentos subseqüentes.

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


ERG eletronegativo unilateral de etiologia não vascular
Anthony G Robson, Emma C Richardson, Adrian HC Koh, Carlos E Pavesio, Phil G Hykin, Antonio Calcagni, Elizabeth M Graham e Graham E Holder

Resumo
Itrodução/Objetivos:
Eletrorretinogramas de campo total e convencionais (ERG, PERG) foram realizados para investigar a função retínica geral e a função macular, respectivamente. Um ERG de campo total (eletro) negativo geralmente descreve um ISCEV-convencional de resposta máxima em que a onda-b é menor que o normal ou onda-a minimamente reduzida e indica disfunção na pós-fototransdução. A causa mais comum de ERG negativo unilateral é oclusão da artéria central da retina (CRAO) ou coriorretinopatia de "birdshot" (BCR). Este estudo examina as características clínicas e eletrofisiológicas de pacientes com ERG negativo unilateral não portadores de CRAO ou BCR.
Métodos: Doze pacientes, com um ERG negativo unilateral e exclusão de etiologia vascular ou BCR, foram examinados. A maioria se apresentou com sintomas de disfunção da retina central. Em 11 dos 12 pacientes estímulos fotópicos de longa duração adicionais foram utilizados para testar a resposta "ON" e "OFF" do sistema de cones.
Resultados: Todos os doze pacientes tiveram ERGs de campo total com flash eletronegativos unilaterais indicando preservação total ou relativa da função dos bastonetes, porém com disfunção pós-fototransdução. Sete destes pacientes tiveram alterações inflamatórias não específidas no olho com sintomas. Seis pacientes, incluindo cinco com sinais inflamatórios, tiveram acometimento da resposta "ON" de cones com completa preservação da resposta "OFF". Mais três pacientes mostraram evidência de anormalidade de da resposta "ON" de cones com envolvimento menos grave da resposta "OFF".
Discussão: Os ERGs neste grupo heterogêneo de pacientes predominantemente mostrou envolvimento pós-fototransdução das vias "ON". Preservação da resposta "OFF" dos cones foi eventualmente observada. A maioria dos pacientes teve sinais de inflamação ocular prévia com especulação de que estas alterações unilaterais muito incomuns podem ser mediadas por mecanismo auto imune.

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


  Laboratory science - scientific reports

Expressão aumentada do favor de crescimento endotelial vascular (VEGF) associado à acúmulo de lipídios na membrana de Bruch em camundongos sem a membrana do receptor para LDL
Martin Rudolf, Bernd Winkler, Zouhair Aherrrahou, Lars C. Doehring, Piotre Kaczmarek e Ursula Schmidt-Erfurth

Resumo
Objetivo:
Investigar a patogênese da degeneração macular relacionada à idade (ARM) avaliando o acúmulo de lipídios na membrana de Bruch (BrM) em um modelo de camundongo geneticamente modificado com deficiência do receptor para proteínas de baixa densidade (LDL).
Métodos: Camundongos com deficiência do receptor-LDL e controles C57BL/6 foram alimentados com dieta padronizada ou dieta rica em gordura (HF). Foi determinado colesterol plasmático total (pTC). Os olhos foram examinados por microscopia eletrônica. Coloração imunohistoquímica para VEGF foi realizada.
Resultados: pTC foi maior em camundongos com deficiência do receptor LDL dieta HF e elevada após dieta padronizada comparada aos controles com e sem dieta HF. Enquanto a BrM dos controles não mostrou nenhuma alteração visível, partículas translúcidas ligadas à membrana foram vistas em todas as BrM dis camundongos genéticamente modificados. A quantidade destas partículas foi substancialmente aumentada e elas estavam mais espessas após dieta HF. Coloração para VEGF foi positiva apenas em camundongos modificados e foi localizada nas células do epitélio pigmentar, plexiforme externa e segmentos internos dos fotorreceptores. Expressão mais intensa de VEGF foi documentada após dieta HF.
Conclusão: Camundongos com deficiência do receptor-LDL mostraram um acúmulo de partículas lipídicas na BrM que foi aumentada após ingestão de gordura. A expressão do VEGF foi observada nas camadas externas da retína dos camundongos modificados e parece correlacionada à quantidade de partículas lipídicas presentes na BrM

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


Produtos finais avançados da glicosilação podem induzir reação glial e degeneração neuronal em explantes de retina
Amelie Lecleire-Collet, Luc-Henri Tessier, Pascale Massin, Valérie Forster, Gerard Brasseur, José-Alain Sahel e Serge Picaud

Resumo
Objetivos:
A ocorrência de degeneração neuronal tem sido descrita em retinopatia diabética antes do início de anormalidades vasculares detectáveis. Para investigar se os produtos finais avançados da glicosilação (AGE) podem ser diretamente responsáveis pela neurodegeneração retínica, explantes retínicos foram incubados com soro glicosilado de albumina bovina (BSA).
Métodos: Explantes retínicos obtidos de ratos adultos não diabéticos foram incubados por 4 dias com ou sem 200 µg/ml de BSA glicosilado. Apoptose neuronal foi quantificada através de identificação por coloração TUNEL (marcador do entalhe do terminal dUTP) e imunocoloração com anticorpo anti clivagem caspase-3. A expressão da proteína ácida glial fibrilar (GFAP) foi localizada por imunofluorescência.
Resultados: Células positivas para colorações TUNEL e anticorpo anti clivagem caspase-3 aumentaram significativamente em 2,2 e 2,5 vezes em explantes retínicos incubados em BSA glicosilada (p<0,05), respectivamente. A camada de células ganglionares foi a camada retínica mais sensível à BSA glicosilada. Degeneração neuronal foi confirmada pelo aumento da marcação GFAP nas células gliais de Müller dis explantes tratados com BSA glicosilado.
Conclusão: Nossos resultados sugerem que AGE pôde induzir neurodegeneração retínica na ausência de perfusão sangüínea. As células na camada de células ganglionares pareceram ser as mais sensíveis à retinopatia diabética. A toxicidade aos AGE podem assim contribuir no mecanismo patogênico precoce da retinopatia diabética

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


O polimorfismo do gene C677t 5,10metilenetetrahidrofolato reductase em pacientes com Behçet com ou sem acometimento ocular
Yusuf Ozkul, Cem Evereklioglu, Murat Borlu, Serpil Taheri, Mustafa Calis, Munis Dundar, and Ozgur Ilhan

Resumo
Introdução:
Níveis séricos aumentados de homocisteína (HCy) foram relatados em pacientes com doença de Behçet (DB) com fator de risco estabelecido para acometimento vascular. Recentemente, demonstramos que níveis elevados de Hcy estão associados com acometimento ocular em tais pacientes. Por outro lado níveis elevados de Hcy podem ser resultantes de erros genéticos. Realmente, uma mutação no gene gene C677t 5,10metilenetetrahidrofolato reductase (MTHFR C677T) influencia o metabolismo de Hcy e, desta forma, o polimorfismo do MTHFR C677T provoca hiperhomocisteinemia.
Objetivo: Pesquisar um possível fator genético para a elevação de níveis plasmáticos de Hcy em pacientes com DB ao examinar a interação gene-gene com o polimorfismo MTHFR C677T, um fator crucial para o metabolismo de Hcy. Além disso, nós avaliamos eventuais associações entre o polimorfismo MTHFR C677T e a presença de acometimento ocular nestes pacientes.
Métodos: Um total de 59 pacientes com DB (25 homens e 34 mulheres) com idade média de 34,9 anos e 42 indivíduos pareados de acordo com a idade e o sexo (19 homens, 23 mulheres, idade média 32,2) foram incluídos nesta pesquisa. A mutação do gene MTHFR C677T foi estudada por meio de reação em cadeia de polimerase (PCR) e restrição do comprimento do fragmento do polimorfismo (RFLP) do fragmento do DNA genômico no nucleotídeo 677 em todos os indivíduos de ambos os grupos. O equilíbrio genético é assumido para freqüências de genes do polimorfismo do MTHFR C677T em ambas as amostras.
Resultados: O genótipo do gene MTHFR C677T diferiu entre os pacientes com Behçet e o grupo controle (TT: 11.9 vs. 1.9%; CT: 55.9 vs. 61.9%; CC: 32.2 vs. 35.7 %). O genótipo TT homozigoto foi mais freqüente em pacientes com DB do que no grupo controle, embora a diferença não tenha sido significante (p=0,980). Em pacientes com DB com acometimento ocular, no entanto, as freqüências do tipo homogenético TT (27,8%) foram significativamente mais altos que nos pacientes com DB sem acometimento ocular (1,9%, p=0.003, odds ratio=20.0). O genótipo TT foi associado com maior risco de acometimento ocular.
Conclusão: Níveis séricos elevados de Hcy podem ser resultado de um polimorfismo do MTHFR C677T com mais indivíduos TT do que genótipos CT e CC em pacientes com DB. Embora não tenhamos mostrado associação entre o polimorfismo MTHFR C677T e maior risco de aftas orais ou úlceras genitais, uma mutação neste gene foi associado a risco aumentado de acometimento ocular, sugerindo instabilidade genética com uma necessidade em potencial de início de terapia redutora de Hcy neste gurpo de pacientes.

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


  Laboratory science - extended reports

Expressão do gene gremlin em pericitos da retina bovina exposta à concentração elevada de glicose
Rosemary Kane, Laura Stevenson, Catherine Godson, Alan W Stitt e Colm O'Brien

Resumo
Objetivo: Avaliar a influência da hiperconcentração extracelular de glicose na expressão do antagonista BMP, gremlin, em cultura de pericitos retínicos bovinos (BRPC).
Métodos: BRPC foram cultivados sob condições de 5mM e 30mM D-glicose por sete dias e RNA total foi isolado. Os níveis de RNAm do gremlin foram correlacionados, através de RT-PCR, com outros genes implicados na patogêneses da retinopatia diabética e as vias marcadoras da expressão do gremlin induzida por altas concentrações de glicose foram testadas, utilizando inibidores fisiológicos. A expressão gremlin foi também examinada na retina de camundongos com diabetes induzida por streptozotocina.
Resultados: A alta concentração de glicose estimulou o súbito aumento dos níveis de RNAm BRPC gremlin paralelamente ao aumento do RNAm dos fatores de crescimento TGFb (fator transformador de crescimento beta), VEGF (fator de crescimento vascular endotelial) e CTGF (fator de crescimento de tecido conectivo) além de mudanças em outros genes, incluindo fibronectina e PAI-1. A expressão do gremlin provocada pelos altos níveis de glicose foi modulada pelo anticorpo anti-TGFb e por inibidores farmacológicos da produção ROS (espécies reativas ao oxigêncio), ativação MAP-quinase e ativação PKC. O aumento súbito da expressão do gremlin foi observado na retina externa e também ao nível do endotélio vascular dos camundongos diabéticos.
Conclusão: A expressão do gene gremlin é induzida nos pericitos retínicos bovinos em resposta à alta concentração de glicose e no camundongo com diabetes induzida por streptozotocina. A sua expressão é modulada pelas vias do PKC, ROS e TGFb, todos estes são relatados como atuantes na doença fibrótica diabética. Isto implica em um papel do gene gremlin na patogênese da retinopatia diabética

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text


Expressão do FGFR-2 e FGFR-3 na órbita fetal humana normal
Sajid H Khan, Jonathan A Britto, Robert D Evans e Ken K Nischal

Resumo
Objetivos: Demonstrar os padrões de expressão de dois fatores de crescimento de receptores de fibroblastos (FGFR-2 e FGFR-3) na órbita normal humana fetal.
Métodos: Seis secções laminares de órbita foram preparados a partir de material fetal humano de 12 semanas obtidos de acordo com normas éticas. Técnicas de hibridização radioativas foram utilizadas para demonstrar padrões de expressão do FGFR-2 e FGFR-3 dentro destas secções. Apenas um feto forneceu estas secções..
Resultados: FGFR-2 foi expresso dentro dos músculos extra-oculares e a bainha do nervo óptico. Foi expresso em menor grua nas margens periósteas e as suturas do crânio. FGFR-3 foi muito expressada nas margens do periósteo e suturas do crânio mas não nos músculos extra-oculares ou na bainha do nervo óptico.
Conclusões: FGFR-2 e FGFR-3 são expressadas de componentes orbitais diferentes. Mutações do gene FGFR-2 podem ser responsáveis por síndromes craniosinostóticas como Crouzon, Pfeiffer e Apert, enquanto aqueles do gene FGFR-3podem causar sinostoses unicoronais. Músculos extraoculares podem estar histologicamente anormais em casos de Apert, Pfeiffer e Crouzon mas não em sinostoses unicoronais. O padrão de expressão do FGFR-2 no embrião humano normal na órbita podem explicar alguns dos achados histológicos musculares em alguns casos das síndromes deApert, Pfeiffer e Crouzon.

Back to section  Back to Table of ContentsEnglish Abstract  English Full text